PARA TER MELHOR RESULTADO NO CRESCIMENTO DEVE CONTROLAR A OBESIDADE

OBESIDADE E IMC

11 de abril de 2014

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: USO DE HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (GH) EM BAIXA ESTATURA IDIOPÁTICA (SEM CAUSA CONHECIDA), EM DOENÇAS CRÔNICAS E ALGUMAS SÍNDROMES QUE LEVAM À BAIXA ESTATURA, PRINCIPALMENTE PARA SE EVITAR BULLYING DOS COLEGAS E A CRIANÇA NÃO DESENVOLVER PROBLEMAS PSICOLÓGICOS.

A sociedade impõe um alto valor à aparência física e uma preferência a pessoas com alta estatura especialmente para as crianças do sexo masculino. A baixa estatura, freqüentemente, causa grande preocupação para os pais, para os parentes e para as crianças. Conjuntamente com o diagnóstico de baixa estatura, deve-se verificar a existência de um problema físico e também se deve saber que as crianças poderão sofrer danos psicológicos como resultado de chacota (bullying) dos colegas.
A baixa estatura pode indicar um problema endócrino ou um problema não endócrino, resultante da desnutrição. Muitas causas endócrinas, tanto congênitas quanto adquiridas, incluindo a deficiência de hormônio do crescimento (GH), hipotireoidismo, e os tumores da hipófise, podem levar a alterações de crescimento. As doenças crônicas como doenças cardíacas congênitas, artrite reumatóide juvenil, doença de Crohn, e o vírus da imunodeficiência humana também pode levar à baixa estatura. Síndromes como a síndrome de Turner, Síndrome de Noonan, síndrome de Prader-Willi e síndrome de Laurence-Moon-Bardet-Biedl são incomuns, mas também são causas de baixa estatura.
Displasias (alterações) esqueléticas raras, mais notavelmente a osteogênese (formação de osso) imperfeita, também estão associados à baixa estatura. Dismórficos (apresentam aspecto diferente), juntamente com a obesidade e diminuição da altura, ajudam a distinguir uma causa sindrômica de causa não sindrômica, as crianças obesas normais, são maiores e mais desenvolvidas do que seus colegas. Além da baixa estatura secundária, as variações normais de crescimento, que resultam em baixa estatura constitucional, ou incluem o crescimento retardado, a genética ou antecedentes familiares de estatura reduzida. Baixa estatura idiopática (sem causa conhecida) é definida como baixa estatura, estatura abaixo da média, sem evidência de outras patologias. Crianças com baixa estatura idiopática (sem causa conhecida), muitas vezes são tratados com hormônio de crescimento (GH). Há quatro áreas principais de interesse relacionadas com o uso do GH no tratamento de crianças com baixa estatura idiopática: a altura que estas crianças adquirem com o tratamento com GH, os possíveis efeitos colaterais, se existirem, porque até o momento não tem nada, o impacto da baixa estatura idiopática na qualidade de vida, e os custos.
Também foi avaliada a segurança do tratamento com hormônio de crescimento (GH) em crianças com baixa estatura idiopática. Não foi encontrado nenhum risco significativo no tratamento com GH nas várias pesquisas efetuadas, e já se concluiu que a administração de GH é segura. 


AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr.  
Endocrinologia – Neuroendocrinologia  
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930


Como Saber Mais: 
1. A sociedade impõe um alto valor à aparência física e uma preferência a pessoas com alta estatura especialmente para as crianças do sexo masculino? 
http://crescimentodeficiencia.blogspot.com

2. A baixa estatura, freqüentemente, causa grande preocupação para os pais, para os parentes e para as crianças? http://querocrescer2.blogspot.com

3. A baixa estatura pode indicar um problema endócrino ou um problema não endócrino, resultante da desnutrição? http://controladocrescimento.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.


Referências Bibliográficas:
Quigley e colaboradores (2005), Albertsson-Wikland e colaboradores (2008) Styne (2004), Wheeler et al. (2003), Jospe (2006), J Pediatr Health Care. 2011, 25 (11) :24-30.








Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com 


Site Van Der Häägen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicascaio.com.br
www.crescimentoinfoco.com
www.obesidadeinfoco.com.br
http://drcaiojr.site.med.br
http://dracaio.site.med.br


Joao Santos Caio Jr
http://google.com/+JoaoSantosCaioJr

Video
http://youtu.be/woonaiFJQwY



Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17


Seguir no Google Buzz


11 de abril de 2011

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: O HGH – HORMÔNIO DE CRESCIMENTO, TEM IMPORTÂNCIA DESDE A FASE NEONATAL, ATÉ A FASE ADULTA E TAMBÉM DA MELHOR IDADE, E ISTO NOS IMPÕE A GESTÃO DA UTILIZAÇÃO DO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO (HGH) EM PACIENTES COM DIAGNÓSTICO DE DEFICIÊNCIA DE HGH (DGH) E SEU TRATAMENTO DESDE A INFÂNCIA À VIDA ADULTA.


A pergunta que escutamos dos pais dos pacientes que apresentam deficiência do hormônio de crescimento (DGH), desde quando nos procuram para o tratamento é, até quando devo tratar meu filho ou filha para conseguir que ele esteja dentro de um padrão adequado de crescimento: é claro se os genitores dos pacientes estiverem pensando no crescimento linear, ou seja, somente o estatural, os próprios atlas e gráficos, sejam da Organização Mundial de Saúde (OMS)– ONU, ou os gráficos de Tanner, métodos de Peyle e Greülich não superam as idades regulares de 19 anos, tanto para meninos quanto para meninas.
Entretanto, o HGH – hormônio de crescimento, desenvolvido a partir da década de 80 do século XX, por engenharia genética através da técnica de DNA- Recombinante, onde anteriormente a esta técnica o grande vilão era o fator de reconhecimento no DNA de doadores humanos de hipófise, local onde é produzido o hormônio de crescimento natural, pois seus extratos não excluíam a identidade dos doadores, o que, com a nova tecnologia eliminava por completo este risco, que poderia causar a formação de proteínas anômalas denominadas de PRIONS, que poderiam levar à Doença de Creutzfeldt- Jakob (DCJ); a princípio um príon não é um problema significativo, além de extremamente raro, somente um conjunto pode levar à situação de (DCJ), na proporção de 1 caso em 1 milhão de pessoas, mas este risco foi totalmente eliminado a partir do momento que, geneticistas identificaram o fator de reconhecimento da procedência do DNA, e através da eliminação da fração identificadora eliminada do DNA, tal problema jamais voltou a se apresentar, simplesmente  porque foi eliminado. 
Este fato promoveu um avanço incrível sob o aspecto terapêutico, com relação ao crescimento estatural, em pacientes com deficiência de hormônio de crescimento (DGH), mais que isto, propiciou o avanço em outras aplicações do hormônio de crescimento até então jamais imaginadas. O hormônio do crescimento (GH) tem muitos efeitos benéficos em pacientes que apresentam início da deficiência de GH na infância (DGH) se tratados, além de promover o crescimento linear (estatural). A suspensão do GH em pacientes com DGH, (na deficiência ou na continuação) durante a transição da infância à idade adulta, induz a alterações metabólicas DESFAVORÁVEIS ​​na composição corporal, na integridade óssea, na capacidade de exercício, e um perfil de risco cardiovascular adverso, que se corrigido com HGH – hormônio de crescimento não ocorrerá. Estas alterações são revertidas após o reinício do tratamento com GH. Como os benefícios de continuar a terapia de GH na vida adulta tem sido bem estabelecida, é possível que a terapia de reposição de GH não deva ser interrompida quando o crescimento for concluído, mas deverá continuar na vida adulta.
Considerando-se que uma alta proporção de pacientes com diagnóstico de DGH (deficiência de hormônio de crescimento) na infância não são mais DGH na adolescência, portanto, o status de GH deve ser testada novamente, quando o crescimento for concluído. Outros fatores, como a história clínica, a resposta de GH, a ressonância magnética hipotalâmico-hipofisária e as concentrações de IGF-1 (fator de crescimento da insulina – 1), importante para o HGH assim como os Hormônios Tireoidianos, devem ser considerados. A reafirmação da deficiência de hormônio de crescimento (DGH) e realização de testes de estimulação são necessárias, a menos que haja um comprometimento estrutural ou genético persistente desde a infância. Os benefícios são inúmeros se pensarmos em riscos insignificantes.

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologia 
CRM 20611 
Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologia – Medicina Interna
CRM 28930 

Como Saber Mais:
1.Sejam da Organização Mundial de Saúde (OMS) – ONU, ou os gráficos de Tanner, métodos de Peyle e Greülich não superam as idades regulares de 19 anos?
http://crescermais2.blogspot.com

2.Crianças e adolescentes terão vantagens em se tratar com hormônio de crescimento mesmo que tenham doses normais?
http://crescimentojuvenil.blogspot.com

3.Os Hormônios tireoidianos fazem diferença quanto ao crescimento estatural?
http://hipotireoidismosubclinico2.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.


Referências Bibliográficas:
Arq Bras Endocrinol Metabol. 2008 Jul; 52 (5) :854-60.
Pontes E.S., E.Barbosa
Carel et al Johnston et al Nilsson et al Sas et al.








Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua: Estela 515 – Bloco D -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com




28 de fevereiro de 2011

ENDOCRINOLOGIA - NEUROENDOCRINOLOGIA: ALTERAÇÕES METABÓLICAS EM CRIANÇAS COM SONO IRREGULAR, COMPROMETIMENTO NO CRESCIMENTO ESTATURAL INFANTO-JUVENIL, ISTO PORQUE O CRESCIMENTO E LIBERAÇÃO DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO SÓ OCORRE NA FASE DO SONO, ALÉM DO AGRAVANTE DE CRIANÇAS OBESAS TENDEREM A CRESCER MENOS, NÃO SE ESQUECENDO QUE SÓ SE CRESCE APARTIR DE CORREÇÕES ORGÂNICAS E METABÓLICAS E TAMBÉM ESTÁ INCLUÍDA NESTA CATEGORIA AS FUNÇÕES METABÓLICAS DA TIREÓIDE QUE GERALMENTE ESTARÃO COMPROMETIDAS.

Uma pergunta freqüente dos pais, está relacionada a crianças que não apresentam qualidade e quantidade de sono recomendada, na prática todas as pesquisas científicas e a prática clínica nos levam a conclusões, onde estas variantes e outras mais, têm extremo significado na performance orgânica das crianças, infanto-juvenil, e mesmo adolescentes, e a complexidade de que multi-fatores deverão ser corrigidos todos concomitantemente."Os resultados principais incluíram uma tendência contínua entre a duração do sono, do peso corporal e da constatação de que o sono das crianças, em média oito horas por noite, não leva somente à alteração do peso corporal", mas deverão ser corrigidos todos os fatores, o incluindo estilo de vida.
“Os valores mais baixos de duração do sono são fortemente associados com o risco metabólico aumentado." Casos, já são descritos na literatura, e também observados em clínica, que neo-natos podem apresentar a curto prazo gordura visceral e gordura subcutânea por equívocos de alimentação; pode-se ter como outros fatores externos a ocorrência mais grave ou não em grupos específicos raciais ou grupos étnicos. Em assim se observando, as crianças obesas são menos propensas a aderirem a experiências com sono nos finais de semana, e a combinação de menor duração do sono e mais sono irregular são associadas com resultados adversos metabólicos.

"Campanhas educativas, dirigidas às famílias, quanto a dormir mais e mais regularmente, pode promover reduções nas taxas de obesidade e pode melhorar as tendências de disfunção metabólica em crianças em idade escolar, assim como, acompanhar com mais rigor o que é oferecido nas cantinas das escolas ou creches, isto lhes poupará muitos transtornos e custos, entretanto o que mais queremos para nossos filhos, é deixar um legado futuro de bons hábitos, qualidade de vida, e estilo de vida saudável.

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

SAIBA MAIS:
1.A média de 8 horas de sono por noite leva somente à alteração do peso ou também interfere em todo metabolismo? http://metabolismocontrolado.blogspot.com

2.A criança com um número menor de horas de sono pode desenvolver um grande risco metabólico? 
http://metabolismocontrolado.blogspot.com

3.O crescimento infantil, infanto-juvenil e do adolescente também depende do número de horas de sono?

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA
.

Referências Bibliográficas:
J Pediatr Clin Endocrinol. 2010 Jun; 23 (6) :535-51.
Revisão sistemática da eficácia clínica de (somatropina) em crianças com curta
estatura. Loftus J, R Heatley, C Walsh, Dimitri P.
Laurie Barclay, MD -




Contato:
Fones: 55 (11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55 (11) 7717-1257            
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/


Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br


Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/ms?hl=pt-br&ie=UTF8&msa=0&msid=104690649852646187590.0004949cd4737b76430ff&ll=-23.578381,-46.645637&spn=0.001337,0.002626&z=19
Seguir no Google Buzz


30 de dezembro de 2010

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: ALTERAÇÕES DE CRESCIMENTO ESTATURAL, EM MENINAS CRIANÇAS DO SEXO FEMININO, ADOLESCENTES QUE APRESENTAM ALTERAÇÕES HORMÔNAIS E METABÓLICAS SIGNIFICATIVAS COMO, A PUBERDADE PRECOCE SE DEVE PRINCIPALMENTE À ATIVAÇÃO O MAIS CEDO POSSÍVEL DO EIXO GONADOTRÓFICO (RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DOS HORMÔNIOS SEXUAIS, GLÂNDULA NEUROENDÓCRINA) RESPONSÁVEL PELA FABRICAÇÃO NA SEQUÊNCIA DOS HORMÔNIOS RESPONSÁVEIS PELO AMADURECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ESTATURA.

Nas meninas com puberdade precoce progressiva, as evidências indicam um ganho de estatura nos primeiros 6 meses, logo após se instalar a puberdade precoce, isto é, dá a impressão aos pais que na idade adulta elas terão um ganho de estatura , o que não ocorrerá, acima da média prevista inicialmente, devido à puberdade precoce progressiva. Este é o motivo subjetivo quando tem indicação de acelerar o quanto antes o tratamento com hormônio de crescimento (HGH), porque frequentemente, nesta condição a estatura atingida será menor que a média das mulheres com desenvolvimento puberal normal. No entanto, o aparente ganho em altura no inicio é muito variável, em grande parte devido à imprecisão dos métodos de previsão de estatura.
Nas meninas, com início da puberdade na metade inferior da idade normal (8-10 anos), deve-se iniciar o quanto antes o tratamento com hormônio de crescimento (HGH). Em meninos a puberdade precoce é mais rara e se tem menos dados disponíveis, mas aponta na mesma direção, ou seja, o crescimento de crianças, juvenil ou adolescentes do sexo masculino, não se recupera e quanto mais cedo se iniciar o tratamento com o hormônio de crescimento HGH, somatotrofina por DNA Recombinante, melhor o resultado final.
Em conclusão, a estatura final quando adulto, fica comprometida se a puberdade precoce não for tratada desde o inicio, isto é, o mais rápido possível, além das várias ocorrências de bullying na fase infanto juvenil, que serão cobradas dos pais.








AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611

Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930

Como Saber Mais:1.A puberdade precoce se não tratada o mais breve possível, ela trás repercussões para a estatura final na vida adulta?

2. Crianças com puberdade precoce se não tratadas o mais breve possível, sofrerão” BULLYING”com mais frequencia ? 

3.O hipotireoidismo sub-clínico pode levar à dificuldade de manutenção de uma gravidez ?
http://hipotireoidismosubclinico2.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA.

Referências Bibliográficas:
Carel et al,
Johnston et al,
Nilsson et al,
Sas et AL.







Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257 ID:111*101625
Rua: Estela 515 – Bloco D -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Seguir no Google Buzz


ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: BULLYING AS CRIANÇAS MESMO OS JUVENIS, SÃO CRUEIS ENTRE SI, PRINCIPALMENTE QUANDO ENVOLVE SITUAÇÕES PESSOAIS QUE DIFERENCIAM DAS DEMAIS, COMO ESTATURA. MAS NÓS PAIS DEVEMOS OBSERVAR DETALHES ORGÂNICOS PASSÍVEIS DE CORREÇÃO OU DE MELHORA. A PUBERDADE PRECOCE SE DEVE PRINCIPALMENTE À ATIVAÇÃO O MAIS CEDO POSSÍVEL DO EIXO GONADOTRÓFICO (RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DOS HORMÔNIOS SEXUAIS) HORMÔNIOS RESPONSÁVEIS PELO AMADURECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ESTATURA, A NECESSIDADE DE CORRIGIR COMO POR EXEMPLO, HGH – HORMÔNIO DE CRESCIMENTO ENTRE OUTROS TANTOS, NOS MENINOS QUANTO NAS MENINAS ,PARA QUE OCORRA O CRESCIMENTO ESTATURAL .

Nunca se esqueça que um dia, quando nossas crianças , juvenis, adolescentes, souberem diferenciar que poderíamos fazer alguma coisa no sentido de ajuda- los a não serem submetidos ao BULLYING, seremos cobrados, e eventualmente de forma tão cruel como foram submetidos, preste bem atenção nisto, e pode ser diversos fatores que estão envolvidos que poderíamos ter sido mais observadores, uma delas; puberdade precoce, em crianças, juvenil, adolescentes, resulta principalmente da ativação precoce do eixo hormonal gonadotrófico (glândulas posicionadas no sistema nervoso central responsável pelo desenvolvimento dos hormônios sexuais, tanto nos meninos quanto nas meninas).
Embora a idade limite tenha sido sempre questionada, a maioria dos médicos considera que é observada puberdade precoce, quando ocorre por volta dos 8 anos nas meninas e 9 anos nos meninos, sugerindo-se que os médicos façam pelo menos uma avaliação clínica e a avaliação da idade óssea por um endocrinologista. O principal interesse na puberdade precoce é uma condição essencial, do sistema nervoso central (SNC) ou presença de neoplasia nas gônadas (testículos e ovários), que devem ser formalmente excluídos na 1ª fase do diagnóstico. Um segundo fator importante é a estatura, uma vez que a puberdade precoce tem como resultado a aceleração do crescimento de crianças, juvenil, adolescentes, acelerando a maturação óssea e finalmente reduzindo a estatura, independente da produção correta do HGH – hormônio de crescimento estar produzido quantidades correta ou incorretas do hormônio.
A puberdade precoce é heterogênea e tem um critério que pode defini-la, em termos de idade e de potencial para progressão do crescimento ou desenvolvimento de crianças, juvenil, ou adolescente.
As substâncias agônistas (estimuladoras para um bom resultado), atualmente, são o tratamento padrão para a puberdade precoce central progressiva e visa o alívio dos sintomas clínicos do desenvolvimento puberal (puberdade) precoce, suas conseqüências psicológicas e suas conseqüências no crescimento, seja em crianças, juvenil, ou adolescentes.

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologista
CRM 20611
Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930


Como Saber Mais:
1. O hormônio de crescimento – HGH, é importante para o tratamento da puberdade precoce ?

2.Em crianças e adolescentes terão vantagens em tratar com hormônio de crescimento mesmo que tenha doses normais?

3.A tireóide tem importância no tratamento com hormônio de crescimento – HGH no caso de deficiência do hormônio de crescimento - HGH nas diversas fases do ser humano ?

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.

Referências Bibliográficas:
Carel et al ,
Johnston et al , 
Nilsson et al ,
Sas et al.






Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257 
ID:111*101625
Rua: Estela 515 – Bloco D -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com 
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com 
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio

Site Van Der Haagen Brazil

Google Maps:
Seguir no Google Buzz


ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: A PUBERDADE PRECOCE SE DEVE PRINCIPALMENTE À ATIVAÇÃO O MAIS CEDO POSSÍVEL DO EIXO GONADOTRÓFICO (RESPONSÁVEL PELO DESENVOLVIMENTO DOS HORMÔNIOS SEXUAIS, GLÂNDULA NEUROENDÓCRINA RESPONSÁVEL PELA FABRICAÇÃO NA SEQUÊNCIA DOS HORMÔNIOS RESPONSÁVEIS PELO AMADURECIMENTO E DESENVOLVIMENTO DA ESTATURA, COMO POR EXEMPLO, HGH – HORMÔNIO DE CRESCIMENTO ENTRE OUTROS, TANTO NOS MENINOS QUANTO NAS MENINAS) E O CRESCIMENTO ESTATURAL EM CRIANÇAS, JUVENIL E ADOLESCENTES.

A puberdade precoce, em crianças, juvenil, adolescentes, resulta principalmente da ativação precoce do eixo hormonal gonadotrófico (glândulas posicionadas no sistema nervoso central responsável pelo desenvolvimento dos hormônios sexuais, tanto nos meninos quanto nas meninas).
Embora a idade limite tenha sido sempre questionada, a maioria dos médicos considera que é observada puberdade precoce, quando ocorre por volta dos 8 anos nas meninas e 9 anos nos meninos, sugerindo-se que os médicos façam pelo menos uma avaliação clínica e a avaliação da idade óssea por um endocrinologista.
O principal interesse na puberdade precoce é uma condição essencial, do sistema nervoso central (SNC) ou presença de neoplasia nas gônadas (testículos e ovários), que devem ser formalmente excluídos na 1ª fase do diagnóstico. Um segundo fator importante é a estatura, uma vez que a puberdade precoce tem como resultado a aceleração do crescimento de crianças, juvenil, adolescentes, acelerando a maturação óssea e finalmente reduzindo a estatura, independente da produção correta do HGH – hormônio de crescimento estar produzido quantidades correta ou incorretas do hormônio. A puberdade precoce é heterogênea e tem um critério que pode definí-la, em termos de idade e de potencial para progressão do crescimento ou desenvolvimento de crianças, juvenil, ou adolescente.
As substâncias agônistas (estimuladoras para um bom resultado), atualmente, são o tratamento  padrão para a puberdade precoce central progressiva e visa o alívio dos sintomas clínicos do desenvolvimento puberal (puberdade) precoce, suas conseqüências psicológicas e suas consequências no crescimento, seja em crianças, juvenil, ou adolescentes.
Nas meninas com puberdade precoce progressiva, as evidências indicam uma ganho de estatura na idade adulta, acima da média prevista, devido à puberdade precoce progressiva, antes de iniciado o tratamento com hormônio de crescimento (HGH), mais evidentemente insuficiente para a média das mulheres. No entanto, o aparente ganho em altura é muito variável, em grande parte devido à imprecisão dos métodos de previsão de estatura.Nas meninas, com início da puberdade na metade inferior da idade normal (8-10 anos), deve-se iniciar o quanto antes o tratamento com hormônio de crescimento (HGH). Em meninos a puberdade precoce é mais rara e se tem menos dados disponíveis, mas aponta na mesma direção, ou seja crescimento de crianças,juvenil ou adolescentes do sexo masculino, não se recupera e quanto mais cedo começar o tratamento com o hormônio de crescimento HGH, somatotrofina por DNA Recombinante, melhor o resultado final. Em conclusão a estatura final quando adulto, fica comprometida se a puberdade precoce não for iniciada o mais rápido possível.


AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611
Dra. Henriqueta V. Caio
Endocrinologista – Medicina Interna 
CRM 28930

Como Saber Mais:
1.O crescimento fica alterado com a puberdade precoce? http://serobesonao.blogspot.com

2.Em crianças e adolescentes terão vantagens em tratar com hormônio de crescimento mesmo que tenha doses normais? http://crescimentojuvenil.blogspot.com

3.O diagnóstico do hipotireoidismo sub-clínico é importante? http://hipotireoidismosubclinico2.blogspot.com

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.


Referências Bibliográficas:
Carel et al;
Johnston et al;
Nilsson et al;
Sas et al.





Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305 

Nextel: 55(11) 7717-1257 
ID:111*101625
RuaEstela, 515 – BlocoD -12ºandar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/

Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br

Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17

Seguir no Google Buzz


21 de dezembro de 2010

ENDOCRINOLOGIA – NEUROENDOCRINOLOGIA: AVALIAÇÃO DA SEGURANÇA E EFICÁCIA DO USO DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (HGH-SOMATOTROFINA) PARA REPOSIÇÃO POR TEMPO PROLONGADO EM INDIVÍDUOS COM DEFICIÊNCIA DO HORMÔNIO DE CRESCIMENTO (HGH-SOMATOTROFINA), É IMPORTANTE SER FEITO POIS OS EFEITOS NEGATIVOS SERÃO DEFINITIVOS EM NÃO FAZENDO A REPOSIÇÃO HORMONAL.

Pesquisadores têm feito diversas pesquisas e têm observado a segurança e a eficácia da reposição por tempo prolongado do hormônio de crescimento (HGH-somatotrofina, por DNA recombinante, por engenharia genética) em indivíduos que apresentavam deficiência do hormônio de crescimento (HGH-somatotrofina).
Foi analisado nestas pesquisas pacientes que utilizaram e outros que não utilizaram a substância ativa.Neste trabalho ao serem avaliados os sintomas e a qualidade de vida, os trabalhos prospectados mostraram que houve um aumento da massa corporal magra em comparação com os níveis iniciais, diminuição da massa corporal gorda, melhora do perfil lipídico (gorduras, colesterol, bom-colesterol, mal-colesterol, triglicérides).
Não houve efeitos colaterais significativos.
Desde 1987, com o advento do DNA recombinante, não tem sido observado nenhum efeito colateral significativo ou algum fator que contra-indique o uso do hormônio de crescimento (HGH-somatotrofina) em crianças, adultos ou pessoas da melhor idade, pessoas com deficiência de HGH, a não ser em pessoas com neoplasia em atividade até a cura da doença base (neoplasia).

AUTORES PROSPECTIVOS
Dr. João Santos Caio Jr.
Endocrinologia – Neuroendocrinologista 
CRM 20611
Dra. Henriqueta V.Caio
Endocrinologista – Medicina Interna
CRM 28930



Como Saber Mais:
1. A somatotrofina ou HGH -hormônio de crescimento, tem outras funções além de estimular o crescimento ?
http://crescercriancasjuvenil.blogspot.com/


2. A somatotrofina, HGH hormônio de crescimento é importante para estimular a cognição, memória, raciocínio, inteligência , quando deficiente desta substância, etc..?
http://crescimentodeficiencia.blogspot.com/


3. A somatotrofina, HGH pode ser usada em adultos com deficiência, no caso de osteoporose, problemas insuficiência respiratória, problemas cardiovasculare, obesidade visceral?
http://oseoporosecontrolada.blogspot.com/

AUTORIZADO O USO DOS DIREITOS AUTORAIS COM CITAÇÃO
DOS AUTORES PROSPECTIVOS ET REFERÊNCIA BIBLIOBRAFICA.


Referências Bibliograficas:
1.Growth Hormone in adults –Phiysiological and clinical aspects
Juul & Jorgensen – National Universty Hospital, Copenhagen,Denmark 1999.
2.J Pediatr Clin Endocrinol.2010 Jun; 23 (6) :535-51.
Revisão sistemática da eficácia clínica de (somatropina) em crianças com curta
estatura. Loftus J, R Heatley, C Walsh, Dimitri P.
Chihara K , Y Kato , H Kohno , K Takano , T Tanaka , Teramoto A , A Shimatsu .
Divisão de Endocrinologia, Metabolismo, Hematologia e Oncologia do Departamento de Medicina Clínica Molecular, Faculdade de Medicina da Universidade de Kobe, no Japão. 








Contato:
Fones: 55(11) 5087-4404 ou 6197-0305
Nextel: 55(11) 7717-1257
ID:111*101625
Rua Estela, 515 - Bloco D - 12º andar - Conj 121/122
Paraiso - São Paulo - SP - Cep 04011-002
e-mails: drcaio@vanderhaagenbrasil.com
drahenriqueta@vanderhaagenbrasil.com
vanderhaagen@vanderhaagenbrasil.com

Site Clinicas Caio
http://drcaiojr.site.med.br/
http://dracaio.site.med.br/


Site Van Der Haagen Brazil
www.vanderhaagenbrazil.com.br
www.clinicavanderhaagen.com.br


Google Maps:
http://maps.google.com.br/maps/place?cid=5099901339000351730&q=Van+Der+Haagen+Brasil&hl=pt&sll=-23.578256,-46.645653&sspn=0.005074,0.009645&ie=UTF8&ll=-23.575591,-46.650481&spn=0,0&t=h&z=17
Seguir no Google Buzz